Análise do Uso Público do Parque Estadual do Monge, Lapa/PR

Autores

  • Mariana Meira Micaloski Universidade Federal do Paraná
  • Fernanda Moura Fonseca Lucas Universidade Federal do Paraná
  • Letícia Helena Ribeiro Cunha Universidade Federal do Paraná
  • Barbara Gabriele de Souza Nogueira Universidade Federal do Paraná
  • Ronaldo Viana Soares Universidade Federal do Paraná
  • Alexandre França Tetto Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.37002/biobrasil.v10i1.1750

Resumo

O uso público de uma unidade de conservação é caracterizado como a forma pela qual os visitantes utilizam essas áreas. As atividades provenientes do uso provocam efeitos positivos no âmbito socioeconômico; no entanto, sem mecanismos de controle e de monitoramento, podem proporcionar impactos negativos ao meio. Diante deste contexto, o objetivo do estudo foi realizar o levantamento de dados sobre a atual situação do uso público do Parque Estadual do Monge, localizado no município da Lapa, Paraná. A coleta de informações se deu por meio de questionário aplicado ao gestor da unidade. Os dados sobre a visitação, referentes aos anos de 2012 a 2016, foram obtidos por meio do Instituto de Água e Terra do Paraná. Observou-se nos resultados uma crescente taxa de visitação ao longo dos anos, porém não se têm dados mais específicos sobre o perfil desses visitantes e a sua satisfação. Notou-se a necessidade de melhoria na infraestrutura e sinalização do Parque, bem como implementação dos subprogramas de uso público previstos no plano de manejo. Neste sentido, recomenda-se atenção aos parâmetros para gestão da unidade, de modo que a visitação possa ser potencializada estrategicamente, estimulando a participação social, com vistas a garantir os objetivos de criação do Parque Estadual do Monge.

Biografia do Autor

Fernanda Moura Fonseca Lucas, Universidade Federal do Paraná

Engenheira Florestal pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Técnica em Controle Ambiental pelo Instituto Federal de Ciências, Educação e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Atualmente é mestranda pelo programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na área de Conservação da Natureza. Possui experiência com Educação Ambiental e desenvolveu pesquisas relacionadas a fenologia de espécies florestais, recuperação de áreas degradadas e modelagem de nicho ecológico.

Downloads

Publicado

20/04/2021

Edição

Seção

Fluxo contínuo