Pesquisa e Monitoramento como Subsídios para a Conservação dos Recursos Pesqueiros na Rebio do Abufari (Amazonas, Brasil)

Autores

  • Marcelo Bassols Raseira Instituo Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade/ICMBio
  • Leila de Sena Blos Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica – CEPAM/ICMBio
  • Cláudia Gemaque Gualberto Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica – CEPAM/ICMBio
  • Thatyla Luana Beck Farago Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/INPA https://orcid.org/0000-0001-5901-4587
  • Jansen Alfredo Sampaio Zuanon Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/INPA https://orcid.org/0000-0001-8354-2750
  • Marcela Juliana Albuquerque Silva Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ)

DOI:

https://doi.org/10.37002/biobrasil.v12i5.1815

Palavras-chave:

Termo de Compromisso , pesca, unidade de conservação, manejo, populações tradicionais

Resumo

A geração de conhecimentos voltados para o manejo de recursos naturais é fundamental para estabelecer estratégias de conservação da biodiversidade. Neste sentido, iniciativas de pesquisa, monitoramento, integração de conhecimento científico e empírico, com objetivos de conservação da ictiofauna estão sendo realizadas na Reserva Biológica do Abufari (Rebio do Abufari). Os resultados dessas iniciativas poderão subsidiar gestores e comunidades no manejo e estabelecimento de um Termo de Compromisso que minimize conflitos gerados pelo uso de recursos pesqueiros por populações tradicionais em uma unidade de conservação (UC) de uso direto. Um Diagnóstico Pesqueiro foi elaborado com a finalidade de caracterizar a pesca e sua importância na Rebio. Paralelamente, foi implementado um protocolo de Automonitoramento da Pesca, como parte do Subprograma Aquático Continental do Programa Monitora do ICMBio, em parceria com o Instituto de Pesquisas Ecológicas, para observar mudanças na atividade ao longo do tempo. Além disso, a UC integra o Programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração – Diversidade de peixes na várzea amazônica (PELD DIVA-CNPq), coordenado pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, que visa produzir conhecimento sobre diversidade ictiofaunística e estoques pesqueiros em áreas de várzeas e descobrir como as comunidades de peixes reagem às diferentes ações de manejo e mudanças climáticas. Para promover o diálogo sobre os resultados das iniciativas entre os atores envolvidos, foi realizado em 2020 o primeiro Encontro dos Saberes na Rebio. Neste artigo descreveremos as atividades realizadas e principais resultados, visando a subsidiar a elaboração do Termo de Compromisso e estabelecer estratégias de conservação da ictiofauna que possam minimizar conflitos de interesses entre os diferentes atores. 

Biografia do Autor

Marcelo Bassols Raseira, Instituo Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade/ICMBio

Oceanografo pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (1999), Mestre em Oceanografia Biológica pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (2003) e possui MBA em Gestão de Pessoas por Competências e Coaching. Em 2004 entrou para o quadro do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, na área de Recursos Pesqueiros IV, sendo o gerente do Sistema de Monitoramento e Avaliação de Impacto do Projeto Manejo dos Recursos Naturais da Várzea - ProVárzea/Ibama e posteriormente, responsável pela Estatística Pesqueira do projeto e em 2007 nomeado o Coordenador do Projeto ProVárzea/Ibama. . Em 2007 foi lotado no Instituto Chico Mendes de Biodiversidade - ICMBio, exercendo o cargo de Chefe Interino do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica - CEPAM, sendo responsável também pela coordenação técnica do Projeto Manejo Integrado de Recursos Aquáticos na Amazônia - Aquabio, no Amazonas.Tem experiência na área de Oceanografia, com ênfase em Interação entre os Organismos Marinhos e os Parâmetros Ambientais. Na Amazônia, possui experiência na várzea amazônica, gestão participativa, Acordos de Pesca e monitoramento e avaliação de impactos, além de trabalhos com cadeias de valores de peixes ornamentais e pirarucu. Atualmente vem trabalhando com gestão de projetos, avaliação de espécies ameaçadas de acordo com as categorias e critérios da IUCN e na elaboração e execução de planos de ação nacionais para espécies ameaçadas e com o monitoramento da biodiversidade aquática continental.

 

Cláudia Gemaque Gualberto, Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica – CEPAM/ICMBio

Licenciada em Ciências Biológicas, Mestre em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia de Água Doce e Pesca Interior (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/, 2016). Com experiência na área de Ecologia e Biologia de Peixes de Água Doce, atuando principalmente nos seguintes temas: peixes de riachos, ecologia de populações, monitoramento de peixes. Atualmente bolsista DTI-B No.Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica – CEPAM/ICMBio desenvolvendo atividades relacionadas a monitoramento da biodiversidade aquática em Unidades de Conservação.

Thatyla Luana Beck Farago, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/INPA

Bióloga, Doutora em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia de Água Doce e Pesca Interior (BADPI) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Tem experiência nas áreas de Biologia e Ecologia Aquática, atuando principalmente nas área de ictiologia, ecologia trófica e ecofisiologia digestiva. No momento é bolsista PCI-DB pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e atua no projeto de longa duração PELD-DIVA.

Jansen Alfredo Sampaio Zuanon, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/INPA

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1985), mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1990) e doutorado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (1999). Atualmente é Pesquisador Titular III do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Tem diversos artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais. Tem experiência nas áreas de Ecologia e Taxonomia de Peixes de Água Doce, atuando principalmente nos seguintes temas: Amazônia, peixes, ecologia, ictiofauna e comunidades.

Downloads

Publicado

01/11/2022

Edição

Seção

Manejo Comunitário de Recursos Naturais em Unidades de Conservação