Uso Público em Áreas Protegidas Estaduais em Santa Catarina, Brasil: o Olhar dos Gestores e Contribuições para o Manejo

Autores

  • Michel Tadeu R. N. de Omena Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade & Universidade Federal de Santa Catarina
  • Vanessa Mathias Bernardo Instituto de Meio Ambiente - Santa Catarina
  • Natalia Hanazaki Universidade Federal de Santa Catarina https://orcid.org/0000-0002-7876-6044

DOI:

https://doi.org/10.37002/biobrasil.v12i3.1890

Palavras-chave:

Visitação , parques estaduais, reservas biológicas, turismo

Resumo

 Gestores de áreas protegidas devem preocupar-se com as várias atividades ligadas ao uso público: visitação, pesquisas científicas e provisão de serviços ecossistêmicos. Porém, tais gestores seriam capazes de perceber as relações entre uso público e conservação? E qual é o nível de conhecimento que esses gestores têm sobre o assunto? Considerando essas questões, este estudo objetiva analisar a percepção dos gestores e gestoras das unidades de conservação (UCs) de proteção integral geridas pelo governo do estado de Santa Catarina, Brasil, quanto à relação entre o uso público e a conservação dessas áreas. Para tanto, utilizamos formulários online para descobrir a opinião de dez gestores de áreas protegidas estaduais (representando 100% das áreas protegidas de proteção integral administradas em nível estadual). Todos os participantes concordaram que os diferentes tipos de uso público têm grande importância para a conservação dessas áreas e entendem o que cada tipo de uso público significa e sua importância para parques e reservas; mas, também concordam ser necessária uma maior publicidade sobre o assunto. Isso é fundamental para ajudá-los a decidir sobre as melhores alternativas para o manejo, por exemplo: aumentar a visitação ou cobrar por serviços ecossistêmicos prestados. Por fim, formulários online podem ser utilizados em outras pesquisas sobre áreas protegidas, em complementaridade com outras ferramentas de diagnóstico já existentes. 

 

Biografia do Autor

Michel Tadeu R. N. de Omena, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade & Universidade Federal de Santa Catarina

Analista Ambiental do ICMBio, possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Santos (1990) e Tecnologia da Informação pela Universidade do Estado de São Paulo (UNESP - 1997), e Mestrado em Engenharia Florestal pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC - 2014). Doutorando do programa de Ecologia da UFSC. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Gestão de Áreas Protegidas.

Downloads

Publicado

31/03/2022

Edição

Seção

Gestão do Uso Público: Turismo e Lazer em Áreas Protegidas